As delícias {e as lutas} de ser uma cristã solteira neste mundo

15 setembro 2010

Ouvi uma expressão forte semana passada. Não foi “geração extravagante”, nem “geração profética”. Foi geração adúltera. UI. Que forte. Pois é. Foi uma ministração pessoal de Deus a mim, um alerta pra que não me contaminasse com um vírus perigoso que me cercava. O vírus do legalismo. Mais pra frente falaremos melhor dele. Mas agora queria explicar esse termo adúltero aqui. Estaria a nossa geração adulterando? Onde? Com quem? Como?

Com a Noiva. A Noiva do Noivo. Nós adulteramos quando a Igreja (noiva) passa a ser mais importante pra nós do que o próprio Noivo.

A palavra de Deus diz que você tem que amar é o Noivo (Marcos 12:30)

Preste bem atenção, eu não estou criticando o fato de você ser dedicado a Deus no lugar onde Ele te implantou pra ser benção. Eu estou somente querendo te alertar, te dar um conselho: Peça pro Espírito Santo sondar seu coração, localizar seu coração. Onde é que ele está? Está no Noivo? Ótimo. Está começando a sair do Noivo? Vigie. Mude.

Temos perdido o temor a Deus, porque nossas igrejas já são tão familiares e aconchegantes, que de repente o altar pra nós já é como o quintal de casa. Não é errado se sentir em casa na sua igreja. Errado é você confundir liberdade com libertinagem e esquecer que Deus rasgou SIM o véu, continua sendo SIM santo e digno da sua reverência e temor. Jesus morreu para que não fossemos condenados, morreu para que tenhamos um relacionamento íntimo com Deus. Ele não morreu pra que você levasse sua vida da maneira como te dá na telha. Eu não consigo acreditar que alguém suba a um púlpito para ministrar a Palavra, sem antes ter se encontrado com o Dono da Palavra. E eu quero continuar não acreditando, quero continuar inconformada com isso, porque não pode ser considerado normal.

Não me interessa o tanto que a pessoa saiba de Bíblia, não me interessa se ela estudou, se vai seguir cronologicamente seu roteiro, item por item da “liturgia”. O que me interessa é o que faz a diferença. E o que faz a diferença é se ela se encontrou com o Dono da Palavra, e se Ele a tocou de forma que, o abrir de sua boca vai ser instrumento de transformação em outras vidas. Não porque ela é inteligente, mas porque a unção de Deus (o Dono da Palavra) é sobre ela.

O foco nunca pode ser a inteligência do homem, o saber do homem. Por que? Oras, porque o homem é falível, pecador e precisa desesperadamente da graça de Deus. Então mude seu estilo de vida, ou esse adultério que você tem mantido com a Noiva vai te matar espiritualmente.

Ame sua igreja sim, se dedique a ela sim, obedeça a seus líderes sim e cuide muito bem do seu ministério. Mas perceba uma coisa: isso tudo foi Deus quem te deu pra cuidar, pra te ajudar a crescer e cumprir sua missão de discípulo. Só que se o primeiro lugar do pódio não for DELE, seu esforço/dedicação/empenho em todas essas coisas é em vão.

Existem pessoas que são capazes de gastar 5 horas dentro de um templo tratando de burocracias, atos administrativos, e etc e não gastam 5 minutos com um filho, porque quando chegam em casa, estão exaustos. E realmente “tratar com crente o dia inteiro é exaustivo”. A família não pode ficar em terceiro plano.

“Mas, se alguém não cuida dos seus, e especialmente dos da sua família, tem negado a fé, e é pior que um incrédulo.” (1 Timóteo 5.8)

Percebe? De nada vale seu empenho, seu currículo gospel diante dos homens se você não investe tempo na sua família.

- Deus tá cuidando da minha família enquanto eu faço “a obra”.

Eu não quero contestar essa frase por inteiro, porque de fato, tudo que não podemos fazer pela nossa família, Deus pode e se você crer, Ele fará. Seu pai tem vícios? Deus pode fazer um milagre e ele acordar com nojo dos seus vícios. Seus pais estão se separando? Deus pode restaurar o amor deles. Seu irmão tem uma doença sem cura para os médicos? Deus pode curá-lo num piscar de olhos. Isso Deus pode fazer. Mas por favor, não negligencie o que Deus te deu. Se você tem sido um filho ausente, um irmão de fim de semana, o que Deus tem a ver com isso? O que Ele vai fazer sobre seu relacionamento com seus familiares? Nada. Deus não vai fazer nada que você pode – e DEVE – fazer. Há um preço a pagar querido, se você está longe de sua família pra seguir um ministério integral, devido a distancia, quem sou eu pra te julgar? Você está sendo obediente. Mas distância não é desculpa pra desonrar sua família, seus pais. Você ora por eles? Você se intera da vida deles, dos problemas? Você oferece ajuda? Lembre-se que, eles são a primeira liderança estabelecida sobre sua vida, isso já deveria ser motivo suficiente para você ser no mínimo, grato e agir como alguém que se importa.

Em Mateus 11:28 Deus nos oferece DESCANSO. Que palavra rara. Você descobriu seu descanso sob a cruz de Jesus?

Quer saber algumas diferenças entre o descansado e o sobrecarregado?

O descansado não se sente culpado se não conseguiu fazer MAIS do que seu colega de ministério, pois sabe que deu o seu melhor e que Deus está aceitando seu sacrifício pois vê a intenção do coração. O sobrecarregado vara a noite fazendo coisas, mesmo que isso signifique que no dia seguinte terá que faltar a um almoço de família, e acumular a devocional pro dia seguinte. Afinal, o importante é o pastor dizer seu nome no culto de domingo citando-o como obreiro valoroso.

O descansado acorda todos os dias e diz “Obrigado Senhor pela minha salvação”. O sobrecarregado já acorda forçando sua memória pra lembrar de tudo que precisa fazer naquele dia, faz suas refeições rápido e oração express porque assim economiza tempo pra poder gasta-lo todo na “obra”

Perceba que tudo que o sobrecarregado faz é se preocupar em FAZER, FAZER, FAZER. E esse fazer é sempre com uma intenção religiosa por trás, tem sempre um legalismo, um ego pedindo pra ser inflado. Já o descansado sabe bem quem é em Deus, e entendeu tanto o Evangelho de Jesus que vive um dia de cada vez, sabendo que, quem fica perdendo tempo correndo atrás de coisas da carne são os pagãos (leia Mateus 6:31-34). Os pagãos, dentre outras coisas, tentam, ainda que no subconsciente, PAGAR o que Jesus fez. Isso é impossível. Você nunca vai reembolsar Jesus, nunca nenhuma obra sua será tão grande ou maior do que a obra que Ele completou na cruz.

Talvez você até saiba que deve descansar sob a cruz, mas sente-se perseguido por uma voz, sempre te dizendo o que você tem que FAZER. Então você faz. Logo depois a voz te diz: “não é suficiente, faça mais”. Em pouco tempo você estará sobrecarregado de novo.

É onde temos errado, o legalismo é um vírus que entra sem que possamos vê-lo, mas se manifesta e logo se propaga de maneira muito rápida, tornando-se evidente em cada escolha. O antídoto para ele é Efésios 2:8-10.

“Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus não por obras, para que ninguém se glorie.”

Termino com uma citação do Ed René Kivitz:

“Aqueles que compreendem que nada no universo frutifica o tempo todo, terão paciência no tempo de arar a terra, aguardar a chuva, semear na estiagem, e esperar as flores e frutos. Ao final, apesar das lágrimas dos processos, voltarão com alegria, trazendo sua colheita abundante. Aqueles que quiserem frutificar o tempo todo se arremessarão freneticamente no ativismo, levarão a terra à exaustão, atropelarão pessoas, precipitarão processos, e ao final ficarão frustrados e desiludidos a se perguntar o porque do fracasso após tanto trabalho.”

Lenara

Blog Não Morda a Maçã
Isso :

0 Deixe aqui seu comentário:

Postar um comentário

Pesquise no blog