As delícias {e as lutas} de ser uma cristã solteira neste mundo

21 fevereiro 2014

"Acontece que Labão tinha duas filhas. A mais velha se chamava Lia, e a mais moça, Raquel. Lia tinha olhos meigos, mas Raquel era bonita de rosto e de corpo." Gênesis 20.16,17

O olhar mostra muito sobre a pessoa, é a porta da alma, e os olhos de Lia mostravam ternura, eram afáveis, devia passar uma doçura muito grande, mas toda a doçura dos olhos dela foi superada pela beleza de Raquel que não era só bela de rosto mas de corpo também, chamava mais atenção que a irmã mais velha. Lia deve ter passado sua vida ouvindo o quanto a irmã mais nova era mais bonita do que ela. Até que um dia ali no meio do nada aparece um parente, e por quem esse homem se apaixona? Por Raquel, a mais nova. 

Lia acompanhou aquela história, ela viu aquele homem ficar um mês inteiro até que o pai lhe fizesse a proposta. Viu esse homem trabalhando 7 anos como se fossem dias pela irmã mais nova. Acho que ela teve tempo suficiente para se apaixonar por Jacó.
Ela sabia que ele não estava trabalhando por ela, estava pela irmã, a irmã é que estava sendo honrada, mas pense comigo: 7 anos convivendo com uma pessoa com essa grandeza de caráter, porque se voltarmos alguns capítulos vemos uma descrição peculiar feita dos dois irmãos, como era a natureza de Jacó e como era  natureza de Esaú. Enquanto Esaú gostava de viver no campo e se tornou um bom caçador (Gn 25.27) Jacó era um homem pacato, doméstico, um homem que era muito próximo aos seus pais, principalmente a sua mãe, até cozinhar sabia (não se esqueçam do guisado que ele preparou para seu irmão em troca da primogenitura e o assado para o seu pai). Era um homem dado a vida no lar, e aquela mulher ali por tantos anos comparada, por não ser tão bonita quanto a irmã, estava vendo Raquel tendo mais uma "vantagem", um homem daquela natureza.

Só que era costume daquele povo que a mais velha não poderia se casar antes da mais nova, porém ninguém mencionou isso quando foi acordado que Jacó trabalharia 7 anos por Raquel. Se era costume, então todos ali (exceto Jacó) sabiam e poderiam ter dito "olha Jacó não dá pra Raquel casar antes de Lia, ou você ora aí pra ela encontrar alguém nesses 7 anos e case antes ou você terá que casar com ela". Até que é comemorado o casamento. Imagine Raquel ao chegar o tempo de ficar com o homem de sua vida, imagine  a expectativa de Jacó. Era costume durante as comemorações o noivo não ver a noiva, o encontro era na lua de mel, logo Raquel não ficou à vista de Jacó, mas será que Labão pegou Lia assim de repente e do nada empurrou tenda adentro? Será que ela não foi avisada antes? Eu sendo mulher chuto um palpite, Lia sabia o que ia acontecer, podia não saber muito tempo antes, mas momentos antes sim e ela não quis fazer diferente talvez por pensar que de outra forma ela nunca teria o amor daquele homem.

O que se passava dentro de Lia? Como era a auto estima dela? Será que ela se sentia especial, valorizada? Ela parecia lidar muito bem com o desprezo pois durante todo o tempo passava por cima de situações humilhantes. Porque vemos depois que ocorre o casamento a primeira situação de desprezo quando Jacó acordou e que o efeito do vinho passou, que ele olhou pro lado e viu Lia, ele saiu daquela tenda indignado, foi tirar satisfação com Labão, "oh Labão porque fez isso? Eu trabalhei foi por Raquel não foi por Lia!". Agora imagine uma mulher que acabou de passar a noite de lua de mel com um homem que ela amava acordar com essa situação já pensou?! Essa foi a primeira situação de desprezo. 

Aí Labão fala da regra que foi ocultada e espertamente propõe uma solução "trabalhe mais 7 anos e Raquel é sua" e Jacó não pensou duas vezes "tá bom eu trabalho mais 7 anos, mas eu quero a Raquel" o segundo desprezo ela viu aquele homem se dispor mais 7 anos pela sua irmã. E a sequência de desprezo continua pois todo tempo Jacó deixava claro que amava mais Raquel.  Chegou um tempo que o próprio Deus viu que Jacó desprezava Lia e interferiu:


"Vendo, pois, o Senhor que Lia era desprezada, abriu a sua madre" Gênesis 29.31


Ela teve 6 filhos  e o tempo todo, a cada novo filho Lia acreditava que teria mais do amor do marido. Como a honra estava em gerar filhos, ali ela estava se sentindo pela primeira vez especial. Ela tinha o amor dele, mas não como Raquel tinha. A Bíblia relata que Jacó amou mais a Raquel do que a Lia. Ela não está dizendo que Jacó não amou a Lia, mas deixa claro que amou MAIS a Raquel e Lia sabia disso. Ela não tinha o que Raquel tinha em termos de sentimentos do marido e a cada filho era uma esperança de mais amor. Até que uma situação bem interessante acontece, quando Ruben acha umas benditas de umas mandrágoras e Raquel desejou aquilo.


"Então disse Raquel a Lia: Ora dá-me das mandrágoras de teu filho."
Gênesis 30.14


Ali, a passiva Lia já não suportou ficar calada. É assim gente chega uma hora que você vai manifestar o que está dentro de você, não adianta, você pode ouvir desaforos muito bem, mas vai chegar uma hora que aquilo que você está canalizando para dentro de si vai sair. Olha o que Lia fala:


"E ela lhe disse: É já pouco que hajas tomado o meu marido, tomarás também as mandrágoras do meu filho?" Gênesis 30.15



Percebe que não tem lógica?  Primeiro porque Raquel não roubou mandrágora nenhuma, ela pediu ela não foi lá e tomou, se ela tivesse tomado e Ruben se queixasse aí Lia poderia até reclamar assim "você já não tem o amor de Jacó ainda tem que tomar as mandrágoras do meu filho!" só que Raquel não roubou nada, nem mandrágora e nem amor de marido. Desde o primeiro instante o amor de Jacó foi de Raquel, se tinha alguém que entrou de gaiata no navio (wow)  esse alguém foi quem? Foi Lia. No fundo ela queria dizer, "você sempre teve tudo, será que não posso ter nada?"

Raquel então falou "tá bom, passa as mandrágoras que eu deixo você passar essa noite com meu marido" (Gn 30.15) mostrando que sempre queria ter tudo. Lia aceita a proposta e nem espera Jacó chegar, vai encontra-lo  e avisa "A mim possuirás, esta noite, porque certamente te aluguei com as mandrágoras do meu filho." (Gn 30.16)

Lia é o retrato do que uma mulher com baixa autoestima e acostumada com o desprezo pode fazer. Ela assimilou isso pra natureza dela e mendigava amor e AMOR NÃO SE MENDIGA. Se Deus não tivesse ido ao encontro de Lia e a honrado o que teria sido sua história? Porque Deus faz isso, Ele pega o desprezado aquele que o mundo rejeita e honra. Deus tem um prazer imensurável em fazer isso, mas isso não tira a lição que Lia tem para nos dar. Não se pode estar com alguém por pena, por acordo, porque não se ver desvantagem, mas não há admiração, algo intenso por aquela pessoa. É muito ruim você querer provar o seu valor para uma pessoa que até sabe, mas não vai te valorizar e te amar da maneira que você merece. 

Deus sempre vai nos honrar, mas Ele não quer nos ver desprezada, ele quer que tenhamos um amor recíproco, digno.

Talvez você traga isso dentro de si. Você se sente tão desvalorizada que tem aceitado migalhas de amor e nem percebe, pior, tem corrido atrás delas, principalmente quando vê que a pessoa está interessada por outra mas fica ali tentando mostrar o quanto é legal... não faz isso. Quanto mais agir assim o efeito é contrário e de quebra você fica com a sensação de inferioridade, de que não é atraente, não é interessante. 

Tem que ser recíproco, ainda que inicialmente um ou outro não tenha chamado atenção. 
Ouvimos sempre testemunhos de casais que um gostou primeiro que o outro, acontece, mas foi só uma questão de pouco tempo pra coisa começar a ser mútua.

Dê amor mais não o mendigue, não fique esperando com as mãozinhas em forma de concha um pouquinho de amor, pensando em mil formas de ter um pouquinho de atenção. Analise como está a sua autoestima, como você se enxerga. Felicidade em qualquer relacionamento está intimamente ligado a esse aspecto.
Quando você reconhece o seu valor está reconhecendo o valor de Deus e Ele honra aos que O valorizam. E se alguém te desprezar ou te desmerecer, fique tranquila pois você tem um Pai que te valoriza muito mais.

Com amor e fé em Cristo,
Núbia Onara


Isso :
by Núbia Onara 22:43 2 comments

2 comentários:

  1. Olá Núbia então realmente é grande o seu texto vou ser sincera com você não sou fã de ler textos grandes, eu faço um resumo começo lendo... pulo para o meio e depois fim, já tirei o que precisava mas... o seu eu li inteirinho ris.. não porque te conheço mas porque eu tava doidinha para dar minha versão de Lia mas antes tinha que saber tudo que você achava dela é claro ris... e se eu fizesse um resumo do seu texto podia, fazer uma interpretação errada... etc e tal. Mas enfim resumindo meu texto,você foi bem convincente realmente era esse o meu ponto de vista a respeito dela trazendo pra o mundo atual muitas mendigam atenção por está com a auto estima baixa, pela idade,pelas cobranças e por ai vai mas o AMOR tem que ser recíproco dar e receber em troca , vale a pena Esperar e confiar em Deus, não é fácil Esperar quando você percebe que suas amigas ao seu redor estão casando e você nada... nada... nada ris... Mas Rute nem esperava mas casar e olha o que Deus fez para ela ? o tão famoso Boaz apareceu né ? Deus é Fiel e está no controle de tudo Amei seu texto mostrou sua beleza Interior fluindo como águas vivas que vem do trono de Deus para nos ajudar a seguir em frente sem olhar para as dificuldades ! Beijinhos minha Blogueira Linda ! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adriana! O seu comentário foi diretamente proporcional ao meu post kkkkkkkkkkkkkkk e eu simplesmente amei! Vocês não tem ideia da alegria de uma blogueira quando ler os comentários :)))))))

      Pensei em Rute enquanto meditava sobre Lia. Ela devia ter uma autoestima no topo porque Boaz não pensou duas vezes!
      Beijos! minha leitora linda ;)

      Excluir

Pesquise no blog